Mais de 73 mil pessoas visitaram Amadeo no Grand Palais

12 Agosto, 2016

A exposição dedicada a Amadeo de Souza-Cardoso no Grand Palais, em Paris, teve 73.337 visitantes, uma média de 949 por dia, segundo dados da instituição. A mostra ocupou mil metros quadrados e reuniu cerca de 300 obras em pintura, desenho, gravura e fotografia de Amadeo e de autores do seu círculo próximo, como Brancusi, Modigliani, Robert e Sonia Delaunay.

Apresentada numa das salas mais emblemáticas e mais visitadas da capital parisiense, a exposição constituiu uma grande oportunidade para revelar internacionalmente “um dos segredos mais bem guardados da arte moderna”, citando o historiador de arte norte-americano Robert Loescher.

“A taxa de satisfação dos visitantes foi particularmente elevada: 96% disseram estar satisfeitos e 44% indicaram que ultrapassou as expectativas", indicou o gabinete de imprensa do Grand Palais.

Recorde-se que para esta exposição o Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso (MMASC) contribuiu com 20 peças da sua exposição permanente, entre pinturas, desenhos e caricaturas, correspondentes a diferentes fases da vida artística de Amadeo. Todas as obras regressaram ao Museu e encontram-se em exposição nas salas da Coleção Permanente.

A exposição foi organizada pela Réunion des Musées Nationaux et du Grand Palais des Champs-Élysées e a Fundação Calouste Gulbenkian, que detém grande parte do acervo do artista nascido em Amarante. Comissariada por Helena de Freitas, da Gulbenkian e uma das maiores especialistas da obra de Amadeo, a mostra teve como objetivo dar a conhecer um artista que teve uma vida curta e intensa, tendo falecido com apenas 30 anos, em 1918, de gripe pneumónica.

Amadeo de Souza-Cardoso, figura ímpar da vanguarda modernista parisiense, deixou uma obra fulgurante, cúmplice de todas as revoluções estéticas do seu tempo e, simultaneamente, absolutamente única e original. A sua morte prematura afastou-o da consagração artística e da história de arte internacional. Embora tenha morrido jovem, Amadeo de Souza-Cardoso viveu em Paris, de 1906 a 1914, onde teve contactos com os modernistas, e chegou a exibir e a vender o seu trabalho na capital francesa, nos Estados Unidos, na Alemanha e na Áustria.

Catarina Lira Pereira expõe no Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso
9 Julho, 2020

A artista plástica Catarina Lira Pereira inaugura a exposição “Review” no Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso, no próximo sábado, dia 11, pelas 16h00. Na primeira ...

Museu reabre ao público e promove acesso gratuito até 19 de julho
22 Maio, 2020

Em consonância com o calendário do desconfinamento definido pelo Governo para os espaços culturais, o Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso abriu as portas ao p&uac...

Normas de acesso ao Museu
20 Maio, 2020

De acordo com o emanado pela Resolução do Conselho de Ministros n.º 38/2020 de 17 de maio que “prorroga a declaração da situação de calamidade, no âmbito d...

por thesign

VISITAS / CONTACTOS

Alameda Teixeira de Pascoaes
4600-011 Amarante - Portugal
+351 255 420 282 (Atendimento/Receção)
+351 255 420 272 / 238
mmasc@cm-amarante.pt

 

| Política de Privacidade

| Termos e Condições

| Condições Gerais de Venda on-line