Paula Modersohn-Becker e os artistas de Worpswede

13 Junho, 2014

Inaugura no próximo dia 21 de junho de 2014 a Exposição Temporária “Paula Modersohn-Becker e os artistas de Worpswede - desenhos e gravuras 1895-1906”, uma mostra que apresenta trabalhos de artistas como Paula Modersohn-Becker, Otto Modersohn, Fritz Mackensen, Hans am Ende, Heinrich Vogeler ou Fritz Overbeck e que decorrerá nos espaços da Coleção Permanente do Museu. A inauguração está agendada para as 16:00h e a exposição estará patente ao público até ao próximo dia 31 de agosto de 2014.

Esta iniciativa parte de uma estreita colaboração do Museu com o Institut für Auslandsbeziehungen (ifa) e Goethe-Institut.

Após a sessão de inauguração seguir-se-á um concerto pela Orquestra do Norte e que terá o seguinte programa:
Quinteto de Metais

Anonymous (c.1684) - Sonata from Die Bänkelsängerlieder
Henry Purcell - Sonata for Two Trumpets and Brass
G.F.Haendel - Water Music
Sonny Kompanek - Killer Tango
Manuel Penélla - El Gato Montes
Frederik Loewe - I Could have danced all night
Gerge Jones - Just a closer walk with thee


Solistas da ON
Mário Reis, trompa
Carlos Ribeiro, trompete
Flávio Silva, trompete
José Pereira , trombone
Jorge Freitas, trombone baixo

A exposição "Paula Modersohn-Becker e os artistas de Worpswede - desenhos e gravuras 1895-1906" será a oportunidade de ver nas salas do Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso um conjunto de obras reveladoras do pioneirismo no modernismo alemão. Com destaque para a artista Paula Modersohn-Becker que do grupo de artistas da colónia de Worpswede é a que assumiu a postura mais próxima às restantes vanguardas europeias (como Cézanne, Gauguin e Van Gogh). E que acaba por ter uma história de vida com pontos em comum com Amadeo Souza-Cardoso: vida muito curta; grande ligação à cidade de Paris e grande produção artística.

Os trabalhos expostos não são apenas da autoria de Paula Modersohn-Becker ou do seu madrido Otto Modersohn, mas também de outros artistas que fizeram parte, no final do séc. XIX e início do séc. XX, da colónia de Worpswede. Colónia de artistas estilisticamente heterogênea, mas com o sentido comum de procura de novos caminhos para a Arte, através da natureza e sua observação 'in loco'. Abandonaram as posturas académicas e basearam-se na ideia romântica da procura da essência do bom e belo através do autoisolamento e da reflexão pessoal sobre a natureza, das pessoas e de todas as "coisas naturais".

 

Veja aqui algumas imagens da Exposição

 

Loja do MMASC aberta também às segundas-feiras
10 Dezembro, 2018

Embora o Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso (MMASC), em Amarante, esteja encerrado às segundas-feiras, a sua loja manter-se-á aberta naqueles dias da semana, a 10 e a 17 de dezembro.

O ...

TAP homenageia Amadeo de Souza-Cardoso e surpreende passageiros a bordo de avião homónimo
15 Novembro, 2018

A TAP assinalou a 14 de novembro o aniversário de nascimento de Amadeo de Souza-Cardoso, com a oferta de um kit, com produtos referentes às suas obras, a todos os Passageiros que viajaram no avi&atild...

Amadeo e o Mundo às Cores de José Jorge Letria
14 Novembro, 2018

No ano em que se assinala os 100 anos do desaparecimento de um dos rostos mais versáteis da pintura portuguesa, Amadeo de Souza-Cardoso, a Filandorra – Teatro do Nordeste estreia, a 14 de novembro (dat...

por thesign

VISITAS / CONTACTOS

Alameda Teixeira de Pascoaes
4600-011 Amarante - Portugal
+351 255 420 282 (Atendimento/Receção)
+351 255 420 272 / 238
mmasc@cm-amarante.pt

| Política de Privacidade

| Termos e Condições